segunda-feira, fevereiro 12, 2007

O SIM ganhou

Não vou dar aqui os parabéns a ninguém porque acho que quem defende a legalização da morte de inocentes não deve receber louvores de ninguém.

Os votantes do SIM, que foram apenas 20% da população portuguesa decidiram que estava na altura de "sermos modernos", ou seja, fúteis e consumistas, adoradores do imediato, do aqui e agora. Foram votar e pensaram "ajudei a resolver o problema, já estou descansado". Não se preocupem, porque os votantes do NÃO continuarão na sombra, a trabalhar nas associações de apoio a crianças e a grávidas de risco, revoltados com o resultado do referendo mas trabalhando em prol do amor ao próximo porque, simplesmente, para nós o problema é o aborto, seja ele legal ou ilegal.

O resultado não foi vinculativo. Mas duvido que haja outro referendo daqui a 8 anos. A esquerdalha conseguiu, mais uma vez, impor a sua vontade vencendo o povo pelo cansaço.

Hoje é um dos dias mais tristes da história do nosso país. Mas só daqui a umas dezenas de anos é que alguns se irão aperceber disso.

Este blogue roubou-me muito tempo durante estes quase 3 meses. Causou-me inclusive problemas pessoais. Mas valeu a pena. Agradeço a todos que por aqui passaram (6 mil visitantes únicos, 11 mil exibições de página), a todos os que comentaram e a todos que o linkaram. Aos meus companheiros de luta: até sempre!

15 comentários:

confratis disse...

Viva caríssimo...
O SIM não precisa de receber parabéns de ninguém... venceu sem margem para dúvidas.

Não vencemos o povo pelo cansaço.. aliás os do NÃO é que gastaram mais dinheiro neste referendo... eram vocês que tinham mais blogues... que faziam mais contra-informação ao alegar que se ia "liberalizar" ao invés do "despenalizar".. enfim!

Deixamos de estar no grupo dos "desgraçados" da união europeia que ainda penalizavam a mulher pela prática de aborto.. finalmente estamos no grupo dos países "civilizados"!

O SIM ganhou praticamente nos meios urbanos do sul do país.. é triste que o norte ainda continue com este tipo de mentalidade... nos meios rurais o NÃO ganhou com grande margem, mostrando a influência que a igreja tem nestes meios.. enfim! é triste que o país funcione a 2 mentalidades!

Outra coisa... não podes que foi a "esquerdalha" que impôs a sua vontade... até porque se viu muita gente da "direitalha" e mesmo "extremistalhas da direitalha" a votar SIM... o contrário é que não se viu... será o peso da consciência?! aqui não podemos misturar a consciência de cada um com os interesses políticos, daí não achar correcto falares em tendências políticas!

Para terminar.. e tal como defendia o SIM, o serviço nacional de saúde está a preparar uma estrutura, em termos de planeamento familiar, de forma a dissuadir as mulheres de praticarem o aborto... estas equipas irão, com médicos, psicólogos e assistentes sociais, convencer a mulher a não praticar aborto.. sendo este o último recurso... foi para isto que o SIM trabalhou!!

Um abraço!

zen disse...

Depois de te passar essa «azia transcendente», em nítida sobredosagem de emotividade impositora de valores subjectivos aos outros, podes sempre começar um processo de requerimento de novo referendo para perderes por mais...

;-)

KA disse...

Caro Fernando,

Saímos derrotados desta batalha mas ainda temos muito caminho pela frente!!!

Quanto mais não seja para ajudarmos quem não quer o aborto como solução!

Parabens pelo blogue!

Visitar-te-ei no outro para onde imagino que recomeces a contribuir :). Espero também visitas lá ao sítio

fernando alves disse...

Minha amiga Ka,
vou voltar em força para o outro sítio e estou a ponderar começar também um novo blog pessoal, do qual depois te darei conhecimento.

Parabéns para ti tb e vemo-nos por outras paragens. ;)

Fernando

confratis disse...

Amiga Ka...
Espero que agora possamos falar de outros assuntos que não este.. este já está muito batido... vai aparecendo no blog do setimoinferno... tu vais continuar com esse ou vais mudar como prometeste?

Beijo

Bruno Vasconcelos disse...

Como li num comentária em cima, há um longo caminho pela frente. E não podemos esquecer que todos os nossos argumentos mais tarde ou mais cedo vão mostrar que Nós, eramos a razão!
Um abraço, e continuarei a ler os seus posts no seu novo blog!

rcom disse...

existe uma coisa que se chama demoracia...

cutchie disse...

Sei os constrangimentos que podem advir da defesa consciente do NÃO.
Habito num distrito onde a votação foi 78%-22% e fui muitas vezes catalogado de retrógrado, rato de sacristia, hipócrita, ignorante e outros que tais.
No pós-referendo, a 1ª pergunta no local de trabalho só podia ter sido: "Então? Choraste muito?"...

Mas agora, tudo mudou!
Num ápice, o meu país transformou-se num ícone da civilização e da modernidade, Portugal está melhor porque aborta (leia-se mata) mas já é legal!

Amigo Fernando (quem defende a VIDA é meu amigo), claro que não haverá outro referendo (faz lembrar o menino mimado que quer sempre jogar outra e outra vez até ganhar, mas só até ganhar!...), mas isso não nos vai impedir de lutar contra todo e qualquer aborto, contra toda e qualquer morte.

catarina disse...

"falar de outros assuntos que não este.. este já está muito batido"... "saímos derrotados"... incrível! INCRIVEL! PORQUE É QUE NÃO COMEÇAM PRECISAMENTE AGORA A DEFENDER A VIDA E QUEM OPTA POR TER FILHOS DA MESMA MANEIRA QUE SE BATERAM PELO NÃO?! Isto foi o que para vocês?! Uma guerrinha?! Uma brincadeira?! RIDICULOS. Vão agora todos defender touros para barrancos.

Liliana F. Verde disse...

O "não" saiu derrotado. É um facto: 40,75% dos votos “não” contra 59,25% dos votos “sim”.

A partir de hoje, em Portugal, toda e qualquer mulher grávida, pode pedir uma "interrupção voluntária da gravidez", por sua e exclusiva vontade, com todos e nenhuns motivos, nas primeiras dez semanas de gestação, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado, protegida pela Lei, paga pelos impostos dos contribuintes.

Lutei, com os meios que estavam à minha disposição, pelo "não", à pergunta deste referendo. Saio desta luta desiludida e muito apreensiva quanto ao futuro do meu país, da União Europeia, da Europa e do Mundo, pois vejo que as prioridades tomam outros rumos que não a defesa dos Direitos Humanos, a verdadeira defesa do Ser Humano.

Não acredito que sejamos muito mais beneficiados com uma Lei que desprotege, por completo, o feto até às 10 semanas de gestação, que não dá alternativas à mulher, que não a apoia, que não considera a posição do homem-pai, etc., etc., etc.

Não obstante, não vai ser a derrota, nem muito menos “o meu novo direito” (sim, eu sou mulher, e tenho um direito novo…!), que me vai deixar alheia às injustiças políticas e sociais que a Sociedade do novo século leva como estandarte e sua glória.

No que for para dizer “sim”, cá estarei, no que for para dizer “não”, também. É uma questão de consciência!

A todos os que se uniram a esta luta, o meu apreço, a minha admiração e o meu muito obrigada.

Uma última questão: Como será o século XXI?

Aquilo que quisermos que ele seja. Está nas nossas mãos.

Anónimo disse...

De : ateupelonão

Caro Fernando

Ao ler alguns comentários dos ateus e afins marxistas e pseudo-progressistas se consolação alguma me resta é que este país de abortos irá deitar para o lixo as "coisas humanas" dos medíocres, deixando incólumes os melhores filhos do povo.
Mas como disse, a consciência de que se está a matar uma vida humana ainda está a anos luz dessas mentes, para quem o materialismo da resolução de problemas sociais de que nada tem a ver com a saúde, se lhes sobrepõe. A centelha da ciência como primado humanista preponderante ainda não lhes despertou no minúsculo cérebro. É que para eles o materialismo ainda está no centro do universo, tal como a terra ...
Pisar a constituição para quem a vida humana é inalianável ? Mas que importa...Quando chegarem ao poder um dia, fazem como o Chavez: logo a mudam. Para esta gente a vida, mesmo na sua forma mais rudimentar nada conta. Pois se mesmo a outra, a já formada, a eliminam com o maior dos à vontades, com um tiro na cabeça ou debaixo das botas de Pyong Yang.
De modo que a ascensão aos valores científicos e humanistas, nada conta, mesmo nos moderados. O voto é mais importante, principalmente quando a economia e aineficácia derrapam. E assim cada vez mais para trás nos vamos afastando de valores que a civilização deve prosseguir. Uns por hipocrisia, outros por ignorância. O que resta é isto, nesta farsa democrática onde o primeiro passo a dar-se é fazer letra morta da Constituição aniquilando-se a vida. Venceu o oportunismo, a demagogia e a hipocrisia do político. Mas isto não é mais que o espelho do país, onde nas cadeiras do poder se senta a cauda da Europa. Pelo resultado desta votação concluimos tristemente que a vida que está para nascer pouco importa. Mas e daí, perguntará o céptico: Não é verdade que no direito português a vítima mortal vale meia dúzia de tostões e o seu assassino leva quase sempre um prémio ? E daí, perguntará o cínico : A vida humana não é um valor absoluto e somos já muitos, há que olhar pelos que cá estão, pois o que importa é enchermos a barriga aos que cá estão e os outros que se lixem.
Por isso o planeta está no estado em que está e oxalá o esforço de sustentabilidade dos mais conscientes não seja impotente para reverter o processo.
Fernando, Um abraço solidário

fernando alves disse...

Muito obrigado pelas suas palavras e pelo seu texto, que revela uma enorme lucidez e clarividência.

É com agrado que, 2 semanas depois do referendo, constato que o blog recebe ainda muitas visitas e comentários.

Um abraço fraterno a todos os que passam por aqui.

jo disse...

Amigos do NÃO temos muito trabalho pela frente..! Nada de novo, sempre tivemos! Há muitos anos! Será redobrado e adaptado pois quem votou sim É RESPONSÁVEL...!

Amigos do NÃO, Não esqueçamos todos os que votaram na Vida.

Cidadãos Responsáveis do SIM, se precisarem de AJUDA e APOIO no futuro, é só contactar qualquer uma das instituições ou aparecer. Fiquem com o nosso contacto. Um dia vão precisar...


Ah...! É verdade estava esquecida, tenho uma optima noticia para os que votaram SIM - NÃO HÁ VÃOS DE ESCADA! Afinal os "Vãos de escada" que tanto quiseram abolir são clinicas! Equipadas! Vão ser Certificadas pelo Estado e até vão ter alvará! são 48 no País inteiro!
Adivinhem quem vai dar uma ajudinha nas licenças...o Franchising emergente "LOS ARCOS"!

Bem se queriam defender alguém...cairam numa armadilha...! não vão conseguir. Uns vão matar, outros vão ser mortos e outros pagam´...os do sim e os do NÃO!
Ah e há quem pague por cima - Os Holandeses - a troco dos "reminders",(chama--lhes assim porque fetos, seres humanos, abortados - mortos custa dizer, pensar.. enfim)!

Anónimo disse...

pergunto-me, se o Não tivesse vencido..como iriam vocês reagir a problemas de saúde e outros assuntos que ocorrem diariamente?



Pergunta: uma mulher é apanhada na rua e violada, dessa violação resulta uma gravidez não desejada..

Resposta: o Não ganhou, como é que ela faz para não ter o filho? não pode, é obrigada a ter o filho de um violador, ou vai presa.

Pergunta: um casal está no conforto da sua casa em momentos maís intímos, no instante em que se dá o ponto alto da virilidade (ou não) masculina, o preservativo rompe-se, desse acidente resulta uma gravidez não desejada como se faz?

Resposta: tem-se um filho ou não se pratica sexo, que já provado por diversos estudos, é das actividades físicas mais saudáveis, tudo porque o Não ganhou e a empresa que faz os presertivos não tinha um controlo de qualidade tão rigoroso.

Pergunta: uma mulher engravida por desejo próprio, mas ao fim de umas semanas sabe-se que o risco de uma deficiência grave é muito elevado, como se faz?

Resposta: tem-se um filho porque o Não ganhou, e como já afirmaram muitos, até um deficiente mental tem direito a ser feliz, num país com uma mentalidade retrógada feito por rufias que adoram gozar com tudo e com todos..


é esta a realidade pela qual lutam?
dizer Sim ao aborto não é apoiar o aborto mas sim NÃO penalizar quem sofre com os acidentes de que não são culpados, preferem ver uma mulher pobre que mal tem dinheiro para comer, ser violada e passar fome com o filho, ou este ir para um abrigo de crianças e ser mal-tratado ou passar anos sem uma família que lhe dê amor e carinho, do que verem uma "vida" perder-se para impedir que 2 se estraguem...



nota: o aborto é realisado quando a "criança" ainda está no estado de feto, ou embrião, isto que dizer que não respira, não come, não pensa, não reage... é um aglomerado de células estaminais não especializadas...não sabem o que isso é? voltem ao secundário e tirem biologia...

fernando alves disse...

Caro anónimo:

este blog está fechado há mais de 2 anos, mas mesmo assim a sua extrema ignorância merece a minha resposta.

Respondendo às suas questões:

1. Na lei que existia antes de o aborto ter sido permitido havia 3 excepções em que se podia abortar: violação, perigo para a mãe e deficiência da criança. Portanto se a mulher fosse violada, ela poderia abortar.

2. É extremamente raro um preservativo romper, acredite. Mas se ele romper, existem as pílulas do dia seguinte. Não sabia? Meu caro, hoje em dia só engravida quem quer.

3. Mais uma vez: em caso de deficiência, a mulher já podia abortar mesmo antes do aborto ser aprovado.


A maioria das gravidezes indesejadas não acontece por acidente mas sim por desleixo. Informe-se!

E quanto às aulas de biologia do secundário... olhe... eu sou professor de biologia por isso posso dar-lhe algumas, se quiser. A criança em estado de feto come, respira, reage e elabora pensamentos. Não fale do que não sabe, ok? Se ela não comesse ou respirasse, o que estava lá a fazer o cordão umbilical? Sabe para que ele serve, pelo menos?

Para a próxima vez, informe-se antes de vir dizer barbaridades.

Atentamente, o autor do blog:
Fernando Alves
professor de biologia